COLÔMBIA, viagem

San Andrés com bebê

Nossa ida a San Andrés não havia sido tão planejada… Quando compramos a passagem para ir a Cartagena, nos programamos para ficar 8 dias lá e, após ver relatos e dicas de quem já tinha ido, vimos que 8 dias talvez fosse um pouco demais para Cartagena, então programamos a viagem para San Andrés (ainda bem, porque valeu muito, muito a pena!). Fiz um relato geral da viagem nas duas cidades aqui e um roteiro detalhado apenas sobre Cartagena no post anterior.

San Andrés é sede do arquipélago de San Andrés, Providência Santa Catalina, sendo um dos destinos do Caribe mais acessíveis para se visitar. A questão da acessibilidade é porque lá é tudo ainda muito barato. Não existem muitas redes hoteleiras enormes e ainda é muito o povo local que toca os estabelecimentos de turismo. Inclusive a ilha tem vários problemas de infra-estrutura e alguns lugares são bem pobres. Já escutei chamarem San Andrés do “Caribe Pop”, mas essa “popularidade” só me fez encantar ainda mais pela Ilha.

www.malacuiaeafamília.com

San Andrés é famoso pelo seu “mar de las siete colores” e, acredite, em um mesmo lugar você vai conseguir encontrar mais que sete tonalidades de cores e vai se encantar. Nunca, nunca vi um mar tão lindo em toda a minha vida.

DCIM100GOPROGOPR0742.JPG
Mar de las siete colores – San Andrés

1ª dia em San Andrés

Chegamos no final da tarde em San Andrés. Se prepare para a loucura de trânsito e os táxis velhos e carrinhos de golfe com turistas por toda a parte! Pegamos um táxi (que não fechava direito a porta) e fomos direto ao nosso hotel. Como nosso hotel funcionava em sistema de meia-pensão, jantamos por ali mesmo. No hotel tinha uma empresa de turismo que oferecia passeios, então assim que chegamos já fui me informar sobre as possibilidades. A maioria dos passeios você só consegue confirmar no dia, pois depende das condições meteorológicas para o passeio sair (como é o caso de Jonhy Cay). Então ficamos nessa noite no hotel para aproveitar melhor os passeios no outro dia.

2ª dia em San Andrés – passeio para El acuario e Haynes Cay

Acordamos cedinho e fui correndo para a agência de turismo no hotel para ver se o passeio para Jonhy Cay estaria disponível. Johnny Cay é uma pequena ilha bem na frente da praia principal de San Andrés (Spratt Bright) e um passeio imperdível para fazer.

DCIM101GOPROG1261450.JPG
Praia de Spratt Bright! Fica bem no centrinho da Ilha!

A ilha pode ser conhecida a pé facilmente e tem uma área da costa com pedras e piscinas naturais e outra com areia, indicada para o banho. Devido à pouca estrutura para atracar barcos e lanchas, depende de pouco vento para que esteja liberada a visitação. Normalmente a ilha é visitada em conjunto com o Aquário (El Acuario), em um passeio de dia inteiro. Devido às condições meteorológicas, Jonhy Cay não estava disponível nesse dia, então resolvemos fazer apenas o passeio até El Acuario, que estava liberado (pagamos no hotel cerca de 35.000 pesos por adulto para fazer o passeio, sendo que tinha a vantagem da lancha nos buscar no trapiche do hotel, direto no mar, mas depois descobrimos que tem uma cooperativa de turismo na praia de Spratt Bright que os passeios eram beeem mais baratos).

IMG_5495
Trapiche no Hotel Sunrise onde as lanchas nos buscavam

Cerca de 10:00h da manhã a lancha nos buscou no hotel. A lancha era um pouco mais antiguinha do que a experiência que tínhamos tido em Cartagena, mas mesmo assim achei que o trajeto foi tranquilo.

DCIM100GOPROG0610594.JPG
A caminho de El Acuario – San Andrés

Primeiro o barco passa por uma área de mangue e o guia vai explicando tudo que tem por ali (como estava com o Marquinho no colo e perto do motor, não consegui escutar muita coisa!). Quando o barco vai se aproximando do Aquário, você já começa a ficar hipnotizado com aquela paisagem e mar estonteantes.

DCIM100GOPROG0620612.JPG
Chegando em El Acuario!

El Acuario, também chamado de Rose Cay, é uma pequena ilha próxima a San Andrés com águas tranquilas e cristalinas. O lugar é bem pequeno e por isso lota bem facilmente e tem pouca estrutura (duas lanchonetes, banheiro – pago a parte e sem lugar para trocar o bebê, aluguel de equipamento para snorkel, aluguel de sapatos, etc). 

DCIM100GOPROG0650628.JPG
O mar no El Acuario!!! Que mar!

Uma dica bem importante para aproveitar bem o passeio é levar apenas o suficiente! Logo que chega na Ilha eles pedem para juntar as coisas que podem molhar e eles guardam em umas sacolas em um dos quiosques que tem ali. Como você vai passar a maior parte do tempo na água, o bom é levar o mínimo de coisas possível. Mas, quem viaja com bebê, sabe que a coisa não é tão fácil assim. Então se tiver que levar mais coisas, leve uma sacola ou mochila que seja impermeável (até porque no trajeto de lancha pode molhar) e não esqueça de incluir muito protetor solar, aquelas proteções para não molhar celular (eles até vendem lá), equipamento de snorkel (é bem barato para comprar no centrinho) e calçado para os pés (a areia lá é super grossa e, pelos arrecifes, pode machucar os pés – eu levei uma sandalinha dessas da grendene pra mim, uma sandalinha de plástico pro marquinho e o Philipe levou os Crocs – usamos em todas as praias que fomos em San Andrés).

DCIM100GOPROGOPR1043.JPG

Outro acessório que acho fundamental em San Andrés é uma câmera aquática. Inclusive lá é ótimo para comprar! A GoPro, por exemplo estava com preço semelhante ao dos Estados Unidos.

DCIM100GOPROG0870937.JPG
Fotos com a Gopro no fundo do mar – parece piscina né?

A ilha é formada por uma área com areia e outra com arrecifes, que formam piscinas naturais perfeitas para ver peixes com snorkel. Ao lado do Aquário fica Haynes Cay, outra pequena ilha. Para ir do Aquário até Haynes Cay basta andar cerca de 200m por dentro do mar ou alugar o serviço de um pedalinho, que pode fazer o trajeto de ida e volta entre uma ilha e outra. O percurso entre as duas ilhas é rápido e a água do mar é rasa. No passeio que nós fizemos, nosso guia chegou e ficou um tempão tentando achar uma raia para trazer para todos verem e perdemos um tempão e acabou nem dando para conhecer Haynes Cay. Minha sugestão é chegar, gravar bem o nome do guia e do barco e o horário de saída (é uma confusão e eles vão chamando pelo nome do barco na hora de ir embora e se não chegarem na hora eles não esperam) e deixar para explorar o local por conta.

DCIM100GOPROGOPR1062.JPG
Haynes Cay no fundo

Essa parte do acuario é muito linda e dá pra passar tranquilamente o dia ali porque é maravilhoso! Dá pra ver um monte de peixes, a água é super rasinha e quentinha e a cor do mar, é impressionante.

DCIM100GOPROG0800747.JPGDCIM100GOPROG0660633.JPGDCIM100GOPROG0710657.JPGDCIM100GOPROG0840829.JPGDCIM100GOPROG0860882.JPGDCIM100GOPROG0860897.JPGDCIM101GOPROG1001106.JPGDCIM100GOPROGOPR0990.JPG

Alguns passeios oferecem almoço incluso em umas das lanchonetes que tem ali. O nosso não tava incluso e fomos nos informar para comer algo e ia demorar um tempão. Ainda bem que eu tinha levado algumas coisas para o Marquinho comer. Quando vimos, já estava na hora de voltar (os barcos ficam lá até no máximo 15:30 porque a maré começa a subir). Então nos direcionamos até onde estava nosso barco e voltamos para o hotel.

DCIM101GOPROG1011110.JPG
Retornando de El Acuario…

A lancha nos deixou no hotel e estávamos super cansados! Então o Philipe foi até uma padaria ao lado do hotel e comemos algo no quarto mesmo. Após descansar fomos dar uma volta no centrinho de San Andrés conhecer as inúmeras lojinhas que tem por lá. San Andrés é zona livre de impostos e tem muita opção de coisas para comprar e com preço super bom. O melhor é a parte de comésticos, perfumes e maquiagens. O perfume que eu uso, o Miracle da Lâncome, por exemplo, que em Rivera no Uruguai e nos duty frees dos aeroportos (tanto em São Paulo quanto em Bogotá) tava 100 dólares, ali eu consegui comprar por 65$. Acabamos indo todas as noites que estávamos por lá no centrinho e, a cada saída que fazíamos, era uma compra diferente!

2ª dia em San Andrés – passeio de carrinho de golf ao redor de toda a Ilha

Acordamos cedo no outro dia e logo já fui ver na agência de turismo se o passeio para Jonhy Cay estava liberado. O passeio chegou a liberar, fizemos as reservas, mas logo depois nos informaram que já havia sido fechado. Então alugamos um carrinho de golf (pagamos em torno de 120.000 pesos) e fomos explorar a ilha por nossa conta.

DCIM101GOPROG1121199.JPGÉ muito comum na Ilha alugarem esses carrinhos de golf ou uns até mais sofisticados e para mais pessoas, como os Mules e Polaris. Nós alugamos um carrinho beemmm velho e que demorava pra pegar no tranco. No início era meio estranho, pois a única coisa que tem que fazer é acelerar e frear, mas depois o Philipe pegou o jeito (para alugar o carrinho eles nem pedem carteira de motorista nem nada, só perguntam se sabe dirigir rs!).

A rodovia que circula a ilha tem aproximadamente 28 quilômetros. A volta à ilha é bastante interessante para localizar e reconhecer onde estão todos os atrativos. A rodovia é totalmente asfaltada e bem policiada. Tinha encontrado dois turistas no hotel que tinham percorrido a ilha um dia antes e eles me deram a dica de começar a explorar a ilha pela parte Leste, normalmente sentido oposto ao que a maioria faz. O interessante de começar por esse lado da Ilha é que nessa parte estão as melhores praias para banho e para passar o dia, no outro lado estariam mais pontos de parada rápida, então assim aproveitaríamos mais.

No tranco de no máximo 20km/h, saímos em direção à praia de San Luís, onde está a Ilha de Rock Cay. No caminho já se começa a ver muito da real San Andrés, com moradas típicas, vilas de pescadores e sempre aquele mar impecável como plano de fundo.

DCIM101GOPROGOPR1206.JPG
Moradas típicas em San Andrés

Paramos em um restaurante na beira da praia de San Luís, o Aqua Beach Club. Foi ótimo parar ali, pois tinham várias cabaninhas e cadeiras na sombra, só precisava consumir no local e assim pudemos explorar um de cada vez a região deixando as coisas ali na cabaninha.

DCIM101GOPROGOPR1124.JPG
Aquabeach Club na praia de San Luís, San Andrés

Bem próximo da praia, dá pra ir a pé, com água até o peito a uma pequena Ilha chamada de Rock Cay. Ao lado dela fica um navio encalhado, que serve como base para experiências de mergulhadores que exploram a fauna e flora marinhas locais. Com o bebê ficava difícil ir até a Ilha, mas olhamos ela de longe e aproveitamos bastante o  local.

DCIM101GOPROGOPR1139.JPGDCIM101GOPROG1071165.JPGBem na ponta da praia de San Luís, dá pra enxergar de longe El Acuario e Haynes Cay, super lindo! 

DCIM101GOPROGOPR1141.JPG
El Acuario e Haynes Cay lá no fundo

Nós curtimos bastante o local e almoçamos por ali mesmo, no aquabeach club. A comida era super boa e o preço justo. Ah, além do arroz de coco, que é típico de lá, tem a limonada de coco, que é uma bebida não alcoólica típica, que é maravilhosa e vale muito a pena experimentar. Em todo lugar que tinha eu acabava pedindo. 

Dali saímos em direção a ponta sul da ilha e paramos no ponto do Ojo Soplador. O Ojo soplador é um local curioso onde há um buraco na pedra que solta um “sopro” bem forte de acordo com a maré e a força das ondas. O buraco fica em uma região bem simples, bem numa vilazinha de moradores locais, com várias lanchonetezinhas ao redor. Fica um monte de gente ao redor do buraco esperando e de vez em quando sopra aquele vento e molha todo mundo que tá olhando ao redor. O Marco Antônio achou o máximo!

GPTempDownload(1)
Ojo soplador

Ficamos um pouquinho ali, compramos uma limonada de coco em um barzinho local, para poder usufruir do ambiente e pegamos nosso carrinho e fomos já para o lado Oeste da Ilha. A ideia era parar na Piscinita e depois no West View, porém a piscinita, que é uma piscina natural com peixes, não sei por qual motivo estava fechada e seguimos em direção ao West View.

O West View  também é um local com piscina natural de peixes, tobogã e trampolim, além de cadeiras e restaurante. O lugar é muito muito legal e ótimo para praticar snorkel, pois concentra muito, mas muito peixe. Inclusive logo que a gente chega e paga o ingresso para entrar (5.000 pesos), eles já dão um pedaço de pão para jogar na água e atrair os peixes.

DCIM101GOPROGOPR1272.JPG
West view, San Andrés

Como esse ponto está na parte da ilha voltada para o continente, mesmo em dia de ventos fortes o mar ali sempre vai estar calmo. Para entrar na água neste local é preciso saltar ou usar escada, já que a borda é uma rocha coralina. No local eles tem opção de aluguel de colete salva-vidas, para quem não souber nadar, pois como é na rocha, a água é um pouco profunda.

Nem quis arriscar a entrar na água com o Marquinho, pois achei um pouco perigoso. Aí o Philipe ficou com ele nas cadeiras e eu fui pra água. A água ali é uma delícia e tem muito muito peixe.

DCIM101GOPROG1211371.JPG

DCIM101GOPROG1211373.JPG
Snorkel no West view, San Andrés

No início, entrei com o colete, para me sentir mais segura e depois já entrei sem e criei coragem para pular no trampolim!!! E foi uma experiência muito maravilhosa!!! São alguns segundos que é possível esvaziar a mente de qualquer coisa e só sentir a experiência. Foi muito, muito legal.

DCIM101GOPROG1191338.JPG

Já estávamos perto do final da  tarde quando saímos dali e fomos retornando pelo sentido da cidade. Bem pertinho tinha um ponto que se chama Cueva de Morgan, que é um museu rústico onde há uma caverna que um Pirata escondeu tesouros. Há um barco onde as crianças podem entrar e brincar. Como estávamos um pouco cansados e o Marquinho também, acabamos nem parando, mas acho que é um lugar bem legal para ir com crianças.

Um outro ponto legal para parar é bem pertinho da cidade já, onde tem uma escultura do “I love San Andrés Island”, com aquele marzão lindo no fundo!!! Fizemos nossa última parada ali e seguimos para o Hotel descansar um pouco, jantar e ir para o centrinho percorrer as lojinhas!

DCIM101GOPROG1221397.JPG

3ª dia em San Andrés – passeio com o semi-submarino

Acordamos cedinho no 3º dia e já logo fui verificar se o passeio para Jonhy Cay estava liberado, pois era o último dia que ficaríamos lá e seria nossa última oportunidade de conhecer. Infelizmente o passeio não foi liberado então fomos procurar outra atividade para fazer.

Em outras viagens, sem o Marquinho ainda, havíamos feito mergulho de profundidade e tínhamos gostado bastante. Mas com o Marquinho, apenas um de nós dois poderia fazer, então encontramos uma opção para toda família fazer junto: explorar o fundo do mar a bordo de um semi-submarino! Esse passeio é feito pela cooperativa de turismo, inclusive o ponto de saída é ali na cooperativa, na praia de Spratt Bright. O passeio dura cerca de uma hora e meia.

DCIM101GOPROG1271457.JPG
Cooperativa de turismo na praia de Spratt Bright

Primeiro pegamos um barquinho para chegar até o semi-submarino, que na verdade é um barco com o fundo transparente, que permite que a gente enxergue o fundo do mar! ATENÇÃO: se alguém do seu grupo enjoa com facilidade no mar, não recomendo esse passeio, pois o barco balança bastante e no fundo a sensação é ainda maior. Nós nos sentimos um pouco “mareados”, mas foi tranquilo e a experiência foi o incrível!

DCIM101GOPROG1281459.JPG
Trajeto de barco para chegar no semi-submarino

O marquinho curtiu muito ver os peixes e raias na janelinha do barco!!!

DCIM101GOPROGOPR1493.JPGDCIM101GOPROG1311500.JPG

Um guia vai explicando sobre as formações e os peixes que vamos encontrando e depois é feita uma parada para nadar em alto mar! Achei que o passeio foi uma experiência muito muito legal para se fazer em família! Recomendo bastante!

DCIM101GOPROG1331521.JPGDCIM101GOPROG1341528.JPGDCIM101GOPROG1361593.JPG

Dali fomos almoçar em um restaurante na praia de Spratt Bright e seguimos para curtir um pouco da estrutura do hotel, que tínhamos ficado pouco tempo. À noite fomos dar nossa última voltinha no centrinho da Ilha, para fazer as últimas comprinhas e retornar no outro dia para Cartagena.

Concluindo sobre San Andrés…

San Andrés foi uma experiência incrível e surpreendente. Voltamos para Cartagena com vontade de ter conhecido Jonhy Cay e outros lugares que não conseguimos ir, como o Restaurante La Regatta, que nos falaram que é maravilhoso,  além de outras Ilhas mais distantes, como a Isla Santander que não cogitamos em ir ainda pelo Marquinho ser pequenininho (estava quase completando dois anos).

Se quiser um relato geral sobre nossa ida a Cartagena e San Andrés, veja nesse post aqui, e apenas sobre Cartagena, volte para o post anterior!

♥♥♥

Sites Consultados

https://www.penaestrada.blog.br/planeje-sua-viagem-para-san-andres/

https://guia.melhoresdestinos.com.br/san-andres-115-c.html

http://www.colombia.travel/es/a-donde-ir/caribe/san-andres/actividades/el-acuario

http://www.qualviagem.com.br/9-atracoes-imperdiveis-na-ilha-de-san-andres/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s