Bélgica, Holanda, viagem

Amsterdam e Bruxelas com criança pequena: bate-volta desde Paris

Seguindo nosso roteiro de viagem pela Europa, como já relatado nos dois posts anteriores (Londres e Paris), no nosso terceiro dia em Paris (02/01) demos uma pausa na capital francesa, colocamos uma muda de roupa na mochila e pegamos um trem na Estação Paris Nord até Amsterdam (saia da estação às 06:13 e chega em Amsterdam às 09:44). Compramos todos os trechos de trem antecipadamente pelo aplicativo da companhia de trem.

Café da manhã no trem rumo a Amsterdam

Amsterdam – 02/01

Chegamos na estação central em Amsterdam, deixamos as coisas no nosso hotel e começamos a explorar a cidade pelo Zoo de Amsterdam, que ficava bem em frente ao nosso hotel, que é excelente para ir com crianças.

Zoo de Amsterdam

Tem um café legal, vários espaços diferentes com animais, um parquinho enorme para as crianças e ainda tinha um carrinho bem legal para andar com criança ali (e era gratuito, só tinha que colocar uma moeda temporária para liberar o carrinho).

Zoo de Amsterdam

Ao lado do zoo tem um restaurante bem bacana com uma vista linda para o zoo.

Restaurante ao lado do Zoo

Dali fomos caminhando e nos perdendo pelas ruas e canais da encantadora Amsterdam, passando pelo Albert Cuyp Market (mais famoso mercado de rua de Amsterdã) e chegamos ao Museumplein (praça dos museus – Van Gogh, Stedelijk e Rijksmuseum, além do famoso letreiro I Amsterdam, que na época estava escondido atrás da pista de patinação).

Optamos por fazer nosso roteiro a pé em Amsterdam ao invés de bicicleta, que é o meio de locomoção mais utilizado em Amsterdam, por poder andar com o carrinho de bebê e permitir um lugar para o Marquinho tirar a soneca dele e podermos continuar com o nosso roteiro tranquilos.

Marquinho tirando uma soneca durante nossa caminhada pelos canais de Amsterdam
Albert Cuyp Market
Os imperdíveis e inesquecíveis Stroopwaffles
Cada esquina em Amsterdam revela surpresas e imagens como essa…
Museumplein
Museumplein

Seguimos para a the nine streets (conjunto de 9 ruas super charmosas repletas de bares, lojas, restaurantes e galerias de arte) e fomos até a Casa de Anne Frank (casa museu onde Anne Frank e sua família se esconderam dos nazistas em um anexo secreto durante a II Guerra Mundial – não consegui entrar pois não tinha conseguido ingresso para o dia e a fila estava enorme para entrar na hora, mas quero muito voltar para entrar).

Canais de Amsterdam
Mais canais e imagens encantadoras em Amsterdam
Casa da Anne Frank – senti bastante de não ter conseguido entrar. O diário de Anne Frank foi um dos primeiros livros que lembro que li na adolescência e fazia parte da coleção pessoal de livros da minha mãe

Fomos até a a praça Dam, onde está o palácio Real e várias lojas e restaurantes ao redor, passando pela Red Light District (onde ficam os famosos coffees shops de Amsterdam).

Praça Dam
Palácio Real de Amsterdam

Retornamos no fim do dia para o nosso hotel, caminhando tranquilamente pelas ruas da cidade.

Amsterdam no entardecer

Ficamos hospedados no Lancaster Hotel Amsterdam, um excelente hotel boutique que reservei com a Alternativa Experience e super bem localizado. Fomos e voltamos a pé para o hotel tranquilamente fazendo o nosso roteiro programado.

Lancaster Hotel Amsterdam
Lancaster hotel Amsterdam

Acordamos cedinho no dia 03/01 e fomos caminhando até a Estação Amsterdam Centraal (são 24 minutos caminhando) para pegar o trem a Bruxelas (Gare du Midi) que saia da estação às 07:48 e chegava em Bruxelas às 09:38 (Eurostar 9171). Fomos novamente nos perdendo pelas ruazinhas de Amsterdam, agora vazia pelo horário e ainda mais encantadora!

Estação Amsterdam Centraal

Bruxelas – 03/01

Bruxelas é uma cidade um pouco complicada para se achar, as estações de trem são bem mais confusas e menos intuitivas que Londres e Paris, mas no fim conseguimos nos virar.

Da estação Gare du Midi pegamos o Tramway Route 4 em direção à Gare du Nord, descendo na estação Bourse, de onde percorremos toda a região central de Bruxelas, incluindo o Manneken Pis, que muitos consideram como o símbolo da cidade (estátua da fonte de bronze de apenas 61cm de altura de um menino fazendo xixi), curtindo as famosas lojas de waffles e chocolates belgas e indo até a Grand Place, a praça central de Bruxelas.

Manneken Pis
Em direção à praça central de Bruxelas

A praça é cercada pela Prefeitura e pela Breadhouse (a Casa Real) e é a atração turística mais popular da cidade. A Grand Place mistura edifícios públicos e privados que datam do final do século XVII, e desde 1998 a praça é Patrimônio Mundial da UNESCO.

Grand Place

Bruxelas é famosamente conhecida por ser a cidade das histórias em quadrinhos (ali que nasceu as aventuras de Tintim), e por onde ande há pinturas, histórias, e personagens pintados em paredes e muros pela cidade.

Da Grand Place seguimos até o Museu de histórias em quadrinhos (Marquinho amou ❤️), passando pela Jeanneke pis (versão feminina do Manneke) e dali pegamos na Estação Botanique o Metro 6 até o Park Elisabeth (ali está a basílica nacional do sagrado coração – 5ª maior basílica católica do mundo).

Vila “Delirium”, da famosa cerveja belga
Jeanneke pis
Museu de histórias em quadrinhos
Park Elisabeth com a basílica ao fundo

Depois de visitar o parque pegamos novamente o Metro 6 para irmos até o Atomium, onde na frente estava tendo uma exposição dos Smurfs (que não tinha mais ingressos mas ainda conseguimos visitar uma área de entretenimento para crianças). Ali na frente também está o Mini Europe, que acabamos não visitando.

Exposição dos smurfs
Atomium

Do atomium fomos caminhando até o Park de Laeken, onde fica o Royal Castle of Laeken, que é a residência oficial do Rei dos Belgas e da família real e de onde conseguimos umas vistas lindas do entardecer em Bruxelas.

Park de Laeken

Dali já pegamos um metrô até a Estação Gare du Midi para pegar o trem a Paris, que saia da estação às 19:13 e chegava em Paris às 20:35.

Carinha do guri no trem de volta a Paris

Esses dois dias que fomos para Amsterdam e Bruxelas foram bastante cansativos, e só nos deixaram com vontade de ficar mais, mas sem dúvida, mesmo que por pouco tempo valeu muito a pena.

Amsterdam é uma cidade encantadora em todos os sentidos e com certeza queremos voltar com mais tempo para explorar mais.

Embora o Philipe tenha achado Bruxelas confusa e pensado que um dia fosse suficiente para conhecer os pontos principais, também fiquei com vontade de explorá-la mais e com certeza voltaria para ficar mais dias.

Se vai ficar por vários dias em Paris como fizemos (ficamos 9 dias em Paris) vale a pena fazer esse bate-volta e conhecer essas duas cidades sim, mesmo com criança. É cansativo, mas vale a pena 🙂

Para saber mais do roteiro da nossa eurotrip com criança pequena, volte os dois posts anteriores, em que relato nossos dias em Londres e em Paris.

🖤🖤🖤

2 comentários em “Amsterdam e Bruxelas com criança pequena: bate-volta desde Paris”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s